terça-feira, 29 de setembro de 2009

Palavras

Se escrevo é porque preciso conversar comigo mesma. As palavras para mim são como sopros ao vento dissipando sentimentos, arejando a alma. Mas às vezes, vejam só, as palavras não saem, ficam atadas como nó dentro de mim e suponho que para se desatarem precisam de mais entendimento e autenticidade.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Desejos da desesperança

É dificil me perdoar por sentir desesperança. Mas preciso abrir espaço para minhas verdades, e elas não são todas felizes. Sou responsável por tantas vidas e me sinto perdida e só na missão de cuidar de mim mesma. Hoje queria meu pai, queria deitar a cabeça em seu colo e ser criança de novo. Descansar de meus sonhos que não deram certo. Esquecer meus medos. Queria acordar com a vitamina de laranja com mamão que ele me levava à cama quando ía visitá-lo na minha infância. Queria aquela macarronada que só ele sabe fazer e sabia que era o prato que eu mais gostava. Queria me lembrar de que eu mereço cuidado, mereço palavras doces. E mereço compartilhar a vida com quem acredita em mim.