terça-feira, 24 de maio de 2011

A manhã acolhe o canto de minhas lembranças, um perfume de jasmins inunda minhas esperanças. Fresca manhã, quando voltarei a ser-te?

Silêncio. Preciso ninar meu mundo e despertar profundo na aurora do presente.